quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Eu já fiz minha escolha






Eu escolhi o que é mais coerente. Penso porque seria diferente, porque se tomaria outra posição? Quando observo até aqui só vejo oposição, sempre se está travando, sempre se é contrário em nome da retidão, o que convenhamos diante do que se tem percebido nos últimos dias não condiz. Entendo que não vai haver mudança da noite para o dia, até porque não há aceitação acerca de algum tipo de mudança. O que teremos é uma extensão do que até aqui se presenciou, só que então, supostamente mais influente. Não que eu seja cético, mas, o que se sabe e se entende é que não existe mudança se não há disposição para, presenciaremos tempos de contínua contrariedade e não temos mais tempo e paciência para tal.
Por isso escolhi pelo que é coerente, pois a disposição em ajudar sempre foi explícita, não houve momento em que isto me pareceu aparente e diante dos grandes desafios o que realmente precisamos é de auxílio e cooperação.
Eu escolhi pelo que é equilibrado. Diante da grande expressão e responsabilidade é necessário ter a certeza que não haverá traição pelo fato de não estar preparado para ouvir algo que seja contrário, não podemos correr o risco de termos um ambiente tomado pelo descontrole por não ter a opinião aceita, não podemos admitir que se use de parcialidades devido a interesses pessoais caso contrário se recorra a outros meios. A condição é muito eminente para expormos a incapacidade do controle, do domínio e da temperança. O ambiente requer tamanha condição, pois, são muitas partes envolvidas, não se trata do particular, mas, sim do que público.
Por isso escolhi o que é equilibrado, pois tenho a certeza que não haverá transformação ou diria deformação a partir de agora, o mesmo equilíbrio demonstrado até aqui já se tornou marca peculiar e terá grande contribuição em toda e qualquer circunstância.
Eu escolhi o que é experiente. Não estou me referindo à idade, pois entendo que ás vezes há muita idade, mas, carente da experiência necessária. Estou falando do histórico, estou falando das realizações, daquilo que está demonstrado e que não se tem como apagar, estou falando daquilo que nos promove garantias de que cada situação será encarada como se precisa. Preciso ter a certeza de que não haverão trocas movidas por interesses ambiciosos e que podem promover prejuízos ao todo. Preciso entender que nas ausências necessárias haverá recurso suficiente que corresponda com a demanda.
Por isso escolhi o que é experiente, pois isto está presente e não é de agora. Não estou falando de perfeição, pois, ela é ausente em todos e não adianta garimpar o que temos sim é experiência aquilatada.

Eu já fiz minha escolha, você deve fazer a sua, não se omita.


Quem lê, entenda.

2 comentários: