quinta-feira, 15 de setembro de 2011

ESPONTÂNEO




Caindo, porém, em si, disse: Quantos empregados de meu pai têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome! Levantar-me-ei, irei ter com meu pai e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e diante de ti; já não sou digno de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus empregados. Levantou-se, pois, e foi para seu pai...

O restante da parábola todos conhecemos. Um começo precipitado, experiências posteriores previstas para quem sai da Casa do Pai e um final maravilhoso.
Não importa o quanto você tenha se precipitado em suas decisões diante do Senhor, ainda que o teu momento está cercado de decepção e angústia, pois isto era previsto, talvez não por você, mas o que quero lhe afirmar é que o final de tudo o que vem ocorrendo a você pode ser maravilhoso. Está disposto a experimentar, volte em si e procure entender que muitos outros já estiveram na posição que você se encontra agora, mas ao voltar recuperaram tudo, por Graça Divina. Com você não será diferente, ainda dá tempo de voltar, o Pai está te esperando. Pense nisso, e volte agora!


Casa do Pai


Eu sinto falta da Sua voz
Me chamando pra entrar
Eu sinto tanta saudade
De caminhar Contigo
Saudades do meu Amigo,
Saudades do meu Pai

Pai, eu sei que não mereço
Mas, eu não tenho pra onde ir,
Eu sinto tanta saudade
De conversar Contigo,
Saudades do meu Amigo
Saudades do meu Pai

Eu vou voltar pra casa do Pai
Eu quero o amor da casa do meu Pai
E repousar tranquilo nos braços do meu Pai

Nenhum comentário:

Postar um comentário